Somos uma escola com atividade em Jundiaí.

Temos orgulho de estarmos na dianteira da transformação da educação, modernizando os processos de aprendizado, com foco no ser humano e nas suas necessidades atuais!

Nossa missão,

Humanizar a educação, construindo uma escola em que todos são responsáveis, voltada para as qualidades e realização pessoal.

visão

Ser referência com uma nova concepção de educação e participar ativamente da transformação das escolas.

e valores.

Trabalho, Autonomia, Cooperação e Livre-expressão.

Célestin Freinet foi professor primário.

Saía com as crianças pelos bairros, conversava com os trabalhadores, e trazia tudo para dentro da escola. A meninada voltava iluminada e transformava as descobertas em conhecimento.

Para Freinet a escola deve ser ativa, dinâmica e aberta para o encontro com a vida.

 

Assista à nossa série sobre a Pedagogia Freinet.

O colégio iniciou suas atividades no ano de 2003.

Começava então a realização de um sonho do casal Elaine e Otávio Medeiros: fazer uma escola diferente, acolhedora e de qualidade, para seus filhos e outras tantas crianças.

Iniciou timidamente, em um espaço adaptado de uma antiga fábrica, com salas pequenas que podiam proporcionar uma atenção especial a cada aluno.

Já no início a escola se diferenciou por uma proposta humanista, em que o aluno é o centro de sua atividade, e procurava promover seu desenvolvimento físico, intelectual, moral e afetivo.

Encontrou na Pedagogia Freinet técnicas que vêm norteando este trabalho.

No ano de 2009 o Santa Felicidade entra num novo momento, com a transferência de endereço para o centro da cidade, ampliando assim suas dependências.

E em 2019 se vê novamente em um momento de florescimento, com uma proposta de educação arrojada, atento às transformações da sociedade.

Localizado no centro de Jundiaí, o Colégio Santa Felicidade ocupa hoje o histórico prédio que serviu à Companhia Paulista dos Ferroviários.

Do edifício da década de 60, o colégio mantém sua fachada original, assim como suas icônicas rampas internas e quadra poliesportiva onde brincou parte da população jundiaiense.

O salão de eventos também permanece preservado e continua a promover festas, formaturas e é palco para muitos artistas do colégio.

A escolha de Santa Felicidade deu-se por três razões:

Em primeiro lugar, pela própria palavra felicidade. Esperamos que a escola seja um local que possa ajudar a fazer as crianças e jovens felizes.
Acreditamos que uma escola não pode "cortar as asas", impedir os voos, manter os seus alunos atrelados ao chão, ao lugar-comum, ao que já foi estabelecido.

Todos têm potencial para crescer, para lançar-se ao alto. A escola precisa compreender essa necessidade do coração, de buscar a realização de nossas capacidades individuais. Assim estamos caminhando para a felicidade.

O segundo motivo está ligado ao bairro de Santa Felicidade, em Curitiba (PR). É uma região de colonização italiana, com vocação para a gastronomia. São famosos os seus restaurantes, as suas cantinas.

O professor Rubem Alves dirá que a escola precisa ter sabor. Precisa, em primeiro lugar, ser gostosa. O professor deve ser como um cozinheiro, que desperta o paladar para as maravilhas de temperos desconhecidos e apetitosos.

Ainda uma terceira razão nos levou à escolha do nome: a própria pessoa de Felicidade, a jovem mãe cartaginense que sofreu o martírio no dia 7 de março do ano de 203, poucos dias após dar à luz. Segundo conta o relato, Felicidade morreu abraçada à Perpétua, de quem era escrava. Ambas deram a vida pelo que acreditavam.

Santa Felicidade na Mídia

GLOBO REPÓRTER, outubro de 2014: "Escola cria reuniões de convivência para resolver problemas de bullying"

globo repórter

Portal EPA! Março de 2017 : "Cantinas das escolas aderem ao movimento saudável e alunos aprovam"

Prefeitura de Jundiaí: "Serviços Públicos leva o tema resíduos sólidos para a escola".

reciclagem prefeitura

Jornal da TVE (Televisão Educativa de Jundiaí): "Carnaval para todas as idades"

https://www.youtube.com/watch?v=DspHA09PrYk

Portal EPA! 21/03/2017: "Dia Internacional da Síndrome de Down"

Programa De Ponta a Ponta, TV TEM (Rede Globo): "Escola inclusão"

 

Jornal de Jundiaí: "Execução do Hino Nacional passa a ser obrigatória"

hino nacional

JundiAqui, carnaval 2018: "Bloco do Santa fez a festa, mesmo sem poder ir às ruas"

Programa De Ponta a Ponta, TV TEM, 15/10/16: "Conversa com as crianças sobre "imaginação"

Programa De Ponta a Ponta, TV TEM (Rede Globo): "Liberdade"

de ponta a ponta

Portal JundiAqui: "Fim de semana com espetáculos teatrais de novos atores"

mídia teatro